terça-feira, 17 de maio de 2011

“Mas eu gostava dele, dia mais dia, mais gostava.
Digo o senhor: como um feitiço?
Isso. Feito coisa-feita. Era ele estar perto de mim, e nada me faltava. Era ele fechar a cara e estar tristonho, e eu perdia meu sossego.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário